segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Pensamentos dadaístas

"Que cada homem grite: há um grande trabalho destrutivo, negativo, a executar. Varrer, limpar, A propriedade do indivíduo se afirma após o estado de loucura, de loucura agressiva, completa, de um mundo abandonado entre as mãos dos bandidos que rasgam e destroem os séculos. (...) Liberdade: DADÁ DADÁ DADÁ, uivos das dores crispadas, entrelaçamentos dos contrários e de todas as contradições, dos grotescos, das inconsequencias: A VIDA." (Tristan Tzara)

Só gostaria de poder voar para longe de tudo e todos, sentir minha vida ao redor de mim, sonhar com um futuro surreal e viver...
Eu queria viver...
Vivas ao caos, ao "sem sentido", aos pensamentos fúteis e inúteis que destroem almas e sentidos. Vivas à ignorancia, às decepções, à incapacidade de se entender os sentidos destruidos, aos absurdos, à incoerência, ao automatismo psíquico e ao inconsciente que leva os seres ao fundo de uma jornada sem fim...

4 comentários:

  1. Penso em 3 coisas.
    Coringa.(personagem)
    The waking life.(filme)
    Insatisfação e crítica ao mundo que te cerca, com uso da ironia nos vivas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Permanecer no estado onírico talvez possa realmente ser a resposta para duvidas, como por exemplo o existencialismo e a metafisica...

      Excluir