quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Me auto diagnostiquei com TOC

TOC (Transtorno obsessivo compulsivo)

Tudo bem, talvez todas tenhamos um tipo de obsessão e muitas vezes está relacionado com a imagem corporal. Mas no meu caso, minha mente está ficando insuportável nos ultimos dias. Tudo começou com "aquela limpa" que fazemos no guarda roupa no final dos anos letivos...



Normalmente, as pessoas que tem seus cantinhos bagunçados e não ligam são diagnosticadas com algum tipo de depressão, pois elas estão "nem aí" para a bagunça que está ao seu redor, muitas vezes nem a nota (a vontade de morrer faz com que ela não veja sua real situação). Então eu confesso a vocês, eu não limpava meu canto de estudos há três anos. Eu não cabia mais lá, tanto que estudava na mesa da cozinha. Eram livros em cima de livros, as prateleiras de livros estavam preechidas com folhas de fichário e cadernos velhos, agendas dos tres ultimos anos jogadas por dentro dos livros e gavetas estavam um nojo! 
Eu vivia muito bem com isso, apesar de minha mãe detestar essa bagunça. Entretanto, no início do ano, precisamente dia 20 de janeiro, eu olhei para e aquele canto e senti uma vertigem... Comecei a arrumá-lo e deixei-o impecável, tirei todo o pó e toda a sujeira de lá. Creio que no total deram tres sacos de lixo (dos bem grandes) só de tranqueira. Inclusive achei um sapato jogado no meio e uma blusa tambem. Aff...
Tudo começou aí. Eu senti um alívio tão grande tão grande... Minha mente agora tende a organizar em mínimos detalhes tudo o que está relacionado a minha pessoa. Não aguento mais! Comida, dipensa, materiais de escritório, livros, roupas, sabonetes, escovas de dentes, fotos, talheres, sapatos... Tudo! Quando eu me vejo estou colocando livros por ordem alfabetica e de autor (ou matéria), minha roupas por cores, talheres por ordem de tamanho, sapatos por ordem de cores e de saltos... Eu realmente sinto que vou estourar!!
Para variar estou em 62,2 kilos, emagreci bosta nenhuma, pois meus pais deram uma de comer pão nesses dias. É claro que me fizeram ir na onda, mas tem alguns casos que nem vomito ajuda. Pra variar hoje a noite farão tapioca e eu sei que vou comer. 
Sedentária, gorda e doida... Eu sou uma droga!

domingo, 1 de fevereiro de 2015

What the hell...

Muito bem, lá vamos nós...

Na minha penultima postagem (5 de dezembro), eu fiquei revoltada e cansada de tudo. Cansada de não emagrecer, cansada de não comer, cansada de não conseguir fazer uma dieta de forma correta, pois não comia... Como sempre: cansada da vida! 
Então eu tentei, ou melhor idealizei, uma forma de vida saudável...
O primeiro passo seria comer, tentar comer e não vomitar. Até que deu certo, meu estomago voltou a aceitar a comida em quantidades pequenas. Parei de vomitar constantemente, mas tambem não consigo comer nada alem de carne e salada sem vomitar. 
Eu finalmente consegui mudar os habitos alimentares de casa. Minha familia finalmente aboliu arroz e feijão! Isso foi resultado de longas conversas com todos, tentando fazer a cabeça deles... 
Parei de me cortar! Finalmente! Hoje vejo meus cortes e tenho raiva de cada um, raiva de mim, raiva de te-los feito...

Então vocês podem se perguntar... Se voce está bem, porque faz essa postagem?
Simples: eu não estou bem!
Insatisfeita com toda a minha vida natural e com todos.
Engordei dois kilos. Voltei a droga dos 63,8 kilos. Mas eu sei que podia ser pior, podia estar nos 65 ou mais, pois eu comi bastante no fim de ano (sim, eu não resisti) e continuei comendo com minha família. Então estou dando graças aos céus por só ter engordado isso. 
O pior é minha mãe falando na minha ideia: voce vai engordar tudo o que sofreu para emagrecer. Vai ser gorda de novo! Vai perder as formas... Afinal, ela é pró-anorexia e eu não sei? Não, ela não é... Vejo como ela fica preocupada quando não como nada. Eu realmente não a entendo.

Enfim... Nesses dois meses tentei ser uma Luana idealizada, ou seja, tentei ser quem eu não sou. Por mais que tenha comido, o peso na consciencia continuava lá. Pensei que em dois meses isso sumiria, mas não sumiu. Cada prato, cada doce, cada copo de leite era uma nova tortura. Para ajudar, minha mãe dava mais forças a esses sentimentos. 

Ontem tentei falar com ela:
- Mãe, acho que vou diminuir a comida... Estou me sentindo inchada.
- Você deve fazer isso! Se não, vai engordar de novo e ficar pior do que era.

Na boa, se alguma mãe ler isso eu peço: cuidado com o que fala para os filhos. Caramba, eu quase confessei que tenho problemas... 


Mudando totalmente de assunto... Fui um fracasso no Enem. Okay, nem tanto. Minha média ficou 701, mas eu não passei nas federais que eu queria. Fuvest então... Nem se fala. 

Mas esse ano irei voltar totalmente para isso. Vou ficar focada e determinada. Irei fazer um cursinho pré vestibular com toda a garra que tenho! Por isso, creio que não terei muito tempo para vir postar, mas aos finais de semana tentarei passar por aqui.

Um rapaz se aproximou de mim nesses dias dizendo que me ama e que quer me namorar. Eu realmente não gostei dele. Ele é fofo, mas não combina. Não sinto aquilo que nos esquenta quando estamos ao lado de quem gostamos. Minha mãe adorou o rapaz, achou que eu nunca mais encontrarei alguem como ele e ficou na minha cabeça. Mas se eu não gosto e tenho até repulsa dele, como irei ficar com ele? O ruim é que ele ficou mandando mensagens em cima de mensagens (odeio isso, acho infantil e no mínimo grudento) e minha mãe quis lê-las. Tive que ceder, pois ela ficava chorando, falando que eu não era amiga dela, que eu era fria... E eu não suporto escândalos! Cedi e me ferrei, pois ela realmente gostou ainda mais do rapaz...
Enfim, dei a desculpa (muito verdadeira) de que nos próximos anos não terei tempo para namorados. Então ele quis saber o por que, disse que não me atrapalharia, que seriamos um casal amigo e lindo (Blargh), que não via motivos para não namorarmos... Dei um fora com classe. Minha mãe quase surtou quando ficou sabendo. Disse que a roda da vida gira e não fazemos com os outros o que não queremos que façam conosco. Okay, mas eu devo ficar com alguem que não gosto???

Hoje parece tudo mais tranquilo, vez ou outra ela pergunta se ele é tão ruim a ponto de eu não querer nem amizade. Eu não respondo e o inferno recomeça...

Essa é a minha vida

Primeira postagem do ano...

Droga! A quem estou tentando enganar??
Essa vida me encanta...
Mesmo tentando ser normal por um mes, nada deu certo. Voltarei a postar, mas talvez não com muita frequencia... Em um próximo post eu explicarei tudo!
Beijos